terça-feira, 5 de junho de 2007

Segunda...

Passada a trilha perigosa da sedução humana em cometer atitudes “erradas”, sobrevivi.
É depois da oportunidade de se fazer o mal que, temos a conclusão de quem é do bem.
Indivíduos incapazes de aceitar opiniões, e da regra clara cujo escrito pronuncia: Aceitar, compreender e perdoar. Não, eu não sei nada de Bíblia, já estudei na escola católica até os meus 16 anos. Mas não é coisa que se fique na memória de quem queria andar de bicicleta o dia todo e jogar futebol nos fins de semana, com o risco de tirar a tampa do dedão do pé contínuas vezes.
No início, as pessoas são de fácil acesso, sorrisos de tamanha pureza, depois humilhações diante de conflitos pequenos. Pessoas bárbaras (não que falem gaguejando, mas que não haja interesse na real comunicação).
Qual é o interesse na comunicação? A retórica? A discriminação? A ofensa?
O silencio às vezes tem mais força, e a essas pessoas que gostam de falar tanto, por que não fica em silêncio?
Indivíduos solitários.
A comunicação hoje caminha solitária, em paralelo com os indivíduos. Somente esse “lento” caminhar, nos indica o medo transmitido pelas pessoas quando estão em frente à alguém que queira comunicar.
Há um comunicado no mural da faculdade. Quem leu? Sempre os mesmos 10 alunos.
Na discussão, sempre prevalece a idéia daquele que grita que ameaça, daquele que sabe que se o outro abrir a boca, poderá sofrer conseqüência ruins. O xadrez: quando você ataca, tem sempre que ter uma peça a mais para atacar, mesmo que tenha o mesmo número de peças atacando e na defesa, o ataque sairá perdendo. É o óbvio no xadrez e no jogo da comunicação.
Há sempre aquela carta na manga do indivíduo que não se adequa à realidade de que existe e sempre existirá cérebros pensantes, ora mais pensantes, ora menos, e sempre diferente. O mau está nessa manga. E ai de quem mordê-la, e ai que quem quiser vê-la.
Quando escrevo, lembro de todas as vivências da minha vida. Incrivelmente todas, e ouço as vozes e consigo identificar algumas delas e não é a minha voz. De quem é essa voz que fala dentro de você? Somos uma mistura de raças e pensamentos.
Quero saber qual é a minha voz, porque nesses momentos de insegurança, de desencontros, medo e falta de pessoas que queiram dialogar, percebo que minha voz é a mais calada dentro de mim.

2 comentários:

paidaju disse...

Somente um comentário para dizer que não tenho comentários.

Mande notícias regularmente até a tempestade passar. Depois vemos oq sobra pra gente.

Bejo

Claudio Nascimento disse...

Muito bom o texto... sério e reflexivo... nem parece que foi feito por vc, hehehe.

Quanto à sua pergunta, pra colocar links de site no blog é só vc ir em personalizar e acrescentar um novo item na página, como vc fez com lista de filmes e etc. Lá tem a opção LINKS... é só incluir.

Bjs