quarta-feira, 9 de julho de 2008

Vale do eco

A minha voz não calava, tomada pela ansiedade, em contrapartida de seu tímido som, feito de silêncio. Essa voz que parecida com tantas outras ouvidas, por ouvintes vívidos em olvidos semblantes da noite carioca.

Faço isso mesmo, no fundo, todo mundo faz. A técnica da negociação é sentir-se um produto final à exposição. Não mercadológico, pura arte, purpurina única de melhor afinação. Realmente conhecer a si mesmo, ser guia de uma mente livre, ler atentamente os olhares.

Então, primeiramente vi o interesse. Segundamente não busquei explicação. Em seguida vi um taxi aguardando minha chegada negra de cabelos curtos. Estava sentindo-me inconformada como sempre... mas, não daqueles inconformismos baratos, de indigna sem ação, sim, daquelas que perfuram a alma e não descolam por nada do gosto do meu prazer em ter de abrir os olhos para olhar novamente para o conforto de não descolar essa maneira de perceber o mundo inconformada.

A importância sem porta, nem militância, da amizade surrada pela falta de tempo e a afeição contínua de uma falta de amizade forçada pelo trabalho de existir. Pense no cheio que o constante amigo se fez ausente. E por último terás o nada. A musicalidade do silêncio se faz das teclas do meu teclado móvel e daquelas baladas que envolvem minha cabeça ansiosa. Gosto da dança quando a música se faz silêncio com as batidas do meu coração. Os livros abertos um dia estavam fechados e em outro fecharão, porque no final só resta a página 1. (de volta)

14 comentários:

daianepiva disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
daianepiva disse...

Vou comentar...

mas tenho até vergonha da minha pouca habilidade com nossa língua perto de seus textos, crônicas, que sejam!
qdo vc "crescer" e junta-las em um livro, quero um autografado, ok?!

Parabéns!

Da sua amiga ainda desconhecida fisicamente!

Dai

eu disse...

Já anota ai que serão dois livros autografados então. Que estilo de escrever. Lindo texto.

vanessa disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
vanessa disse...

A CADA DIA QUE PASSA VC ESCREVE MELHOR ,SEUS TEXTOS SÃO MARAVILHOSOS...............
PARABENSSSSSSSSSSSSSS
POR QUE TODA VEZ QUE LEIO SEUS TEXTOS EU TE ADMIRO MAIS E MAIS....TENHO MUITO ORGULHO DE VC ....
CONTINUE SEMPRE ASSIMMMMMMMMMMMMMMM
BJOSSSSSSSSSSSSSSSSS SAUDADESSSSSSSSSSS

sttevam disse...

ei,como vai a vida?

sttevams@gmail.com

FB disse...

Quem conhece a sua ignorância revela a mais profunda sapiência. Quem ignora a sua ignorância vive na mais profunda ilusão.

Magali Polida de Lascada Silva disse...

Carol, tu sabes notícia do Ste?

Helder Herik disse...

"Em seguida vi um taxi aguardando minha chegada negra de cabelos curtos."

Deu até pra visualizar sua chegada. gosto de texto que trabalham as imagens. Vi isso nesse aqui.

abraços

O Profeta disse...

Ai quem me dera agitar o tempo
Atirar a mágoa à voragem da noite
Arrancar as raízes ao pensamento
Sentir a paz que uma lagoa acolhe


Boa férias


Mágico beijo

.Hammër disse...

E vc sempre com esses textos fodões neh!
Demoro pra fazer grana com todo esse talento, mulher! =]

Saudades eternas.

Magali Polida de Lascada Silva disse...

Volto sempre!

Mas eu pensei que fosse nem tinha respondido, porque o blog que eu mais uso é o detrela.

Volto sim,senhora.
^^

Carol Bonando disse...

obrigada, pelos comentários... voltem sempre!!!
comentem sempre, assim saberei o meu nivel e o que meus leitores gostam e esperam encontrar no meu blog.
beijossss

Lady disse...

Estive aqui...