quarta-feira, 14 de setembro de 2011

Talvez tenha feito por maldade

           Quando olho nos olhos e percebo o desejo arder, sinto o cheiro de testosterona invadindo minhas narinas, tenho vontade de dar um abraço sutil. O abraço parte de quatro braços envolvidos, sendo um meu escondido, quase nulo, surgindo por cima do ombro da vítima. Mesclo meus dedos em seus cabelos, especificamente na nuca. A nuca é um ponto sensível em particular, em qualquer corpo! Com a boca dos pais, os filhotes são carregados sentimentalmente pela nuca, A mulher estremece com o suspiro do homem em sua nuca (electra) e o homem se empolga com as unhas levemente encostadas da mulher, que se aconchega cada vez mais forte em sua nuca (édipo). É fato!
           Pode ter sido feito com maldade, mas foi o sentimento da bondade que me veio a princípio. A dúvida ser um ponto da relação, instiga-me ainda mais. Instigar, “do verbo latino instigare-picar, formado tanto no latim como no grego a partir da raiz germânica stik-furar, e no grego stizo-picar, e stígma, que tem o significado cicatriz, o verbo migrou para um sentido metafórico, designando o ato de estimular, fazer com que alguém faça alguma coisa que não parece muito disposto a fazer. Receberia, então, a picada intelectual de quem quer persuadi-lo.” De trás pra frente: eles instigam/vós instigais/nós instigamos/ele instiga/tu instigas/ e eu adoro!
            Mas nada é tão simples, muito menos quando o assunto é relação. As coisas mudaram muito desde quando fui criada na escola católica, para quando tive minha primeira relação sexual e para quando dormi com sei lá quem, sei lá onde. Faz parte, tudo tem um início, meio e fim. É um táxi, metrô, avião... Muitas coisas foram construídas pelo homem para separar o homem do homem e em especial a mulher do homem.
             Sabe... Sexo dá fome. É como queijo com goiabada. Desejo com o proibido. Pipoca doce com leite condensado. Massagem com penetração. Testosterona com Feromônio. Mas ele não pode. Todos eles se sentem leões, e todas elas se sentem como eu? Mulher-feromona. “A palavra feromônio deriva do grego e significa que transmite excitação”. Porque continuo tentando sobreviver, comendo um leão por dia.
             E não adianta dizer não. Se aproximo, toco, se encosto, acarinho, se beijo, abraço, se mesclo, coloco a mão na nuca e se coloco a mão na nuca... Ah, se coloco os meus dedos naquela nuca... Torno-me maldosa. Mas não foi por maldade, foi apenas seqüência de quereres. Mesmo assim, não adianta escrever teses, porque se ele não pode, continuo achando que talvez não tenha sido por maldade.

8 comentários:

mfc disse...

Sossobro completamente.
Completamente seduzido.

manuel marques disse...

Que grande maldade!

Beijo e bom fim de semana.

C Valente disse...

A vida é feita de coisas boas e más
Coragem é preciso
Saudações amigas

C Valente disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Felicidade Clandestina. disse...

a vida é uma teia inacabavel de situações, nossa, gostei demais do seu texto.



ate mais :*

Pedro Matias disse...

Gostei muito dos teus textos, têm uma velocidade narrativa acertada e gostosa. Um jogo de revela e desvela, como um cobertor curto, acho que a literatura é um pouco disso, um cobertor curto. Quando o autor tapa a nossa cabeça, revela os pés, assim entendemos a história, pelos pés (ou a cabeça) amamos as personagens.
Parabéns!

mixtu disse...

não foi maldade...
nunca maldade....

ou foi?

foi maldade:)

abrazo europeo

Igor Dorneles disse...

Dança dançanda antes do sexo é por vezes mais prazerosa e com certeza muito mais gostosa de ser narrada